Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Estudantes de Física discutem inclusão social em evento nacional
Início do conteúdo da página Notícias

Estudantes de Física discutem inclusão social em evento nacional

A proposta era promover uma reflexão sobre os processos de ensino e de aprendizagem da Física
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 14/03/2019 12h03
  • última modificação 14/03/2019 12h05

Século XXI: Caminhos para uma Educação Inclusiva. Esse foi o tema do 23º Simpósio Nacional de Ensino de Física, realizado em Salvador (BA), entre dias 27/01 e 01/02, e que contou com a participação de 15 acadêmicos do curso de Licenciatura em Física do Campus Santa Inês.

No evento organizado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, em parceria com a Universidade Federal da Bahia, os estudantes do IFMA apresentaram trabalhos e participaram de minicursos, palestras, encontros e rodas de conversa.

Para o professor Anderson Meireles, que acompanhou o grupo de estudantes, o evento, que ocorre a cada dois anos, é um espaço riquíssimo de compartilhamento de experiências, práticas, ideias que contribuiu significativamente para a formação dos licenciandos. “Certamente, a participação no evento agregou conhecimentos que irão influenciar na prática docente dos nossos alunos”, afirmou. “Eles puderam compartilhar suas experiências e também adquirir conhecimentos que auxiliarão no desenvolvimento de ideias e projetos inovadores no campo do ensino de Física”, prosseguiu.

Sobre o Encontro

O evento se propôs a debater a aproximação da pesquisa acadêmica com as práticas de ensino de Física, como forma de enfrentar o desafio da Inclusão Social como princípio educativo.

A proposta era promover uma reflexão sobre os processos de ensino e de aprendizagem da Física como oportunidades para desenvolvimento de identidade e de transformação social, a partir da aproximação das produções acadêmicas com o contexto dos espaços escolares.

 

É fundamental levar em conta um ensino de Física que contemple a pluralidade, a colaboração, o pessoal e o coletivo na busca do bem comum”, afirmou o professor Anderson. “Espera-se com isso uma educação científica mais inclusiva e democrática, refletida em discursos e, principalmente, em ações situadas, com caracteres de criatividade, de reflexão e autonomia”, concluiu.

 

Mais informações http://www.sbfisica.org.br/~snef/xxiii/

registrado em:
Fim do conteúdo da página