Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página Inicial > Notícias > Pesquisa de docente é destaque em revista especializada
Início do conteúdo da página Notícias

Pesquisa de docente é destaque em revista especializada

Artigo do engenheiro e professor Lindemberg Trindade sobre segurança do trabalho em altura integra edição da Revista Proteção
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 14/05/2018 10h04
  • última modificação 14/05/2018 10h04

(Foto: Divulgação/Revista Proteção)

As medidas de proteção para o trabalho em altura (atividades executadas acima de dois metros do nível inferior, com risco de queda) envolvem planejamento, organização e execução adequadas que garantam a segurança e saúde dos trabalhadores envolvidos. Baseado nesse tema, o engenheiro mecânico e de segurança do trabalho Lindemberg Alex Pereira Trindade, professor do campus do IFMA em Santa Inês, teve um artigo publicado pela Revista Proteção (Edição 5/2018), uma das mais conceituadas do país na área.

Em seu artigo “Uso adequado da linha de vida evita queda de quem atua em redes de distribuição elétrica”, o docente do IFMA contextualiza a segurança do trabalho em altura durante a montagem em vias públicas da rede de distribuição aérea elétrica de baixa tensão, com o uso de postes de seção de Duplo T (DT). Nessa operação, o profissional utiliza o equipamento de proteção pessoal denominado “linha de vida”, que é ancorada no plano vertical ascendente ao solo, com acesso por corda e seus acessórios.

O setor de energia elétrica envolve o risco constante de choque, em todas as etapas operacionais (geração, transmissão e distribuição), mesmo em baixa voltagem, o que representa ameaça à saúde e à integridade física do operador. No trabalho em altura a que se refere o artigo de Lindemberg Trindade, o choque elétrico constitui uma ocorrência direta das mais danosas, e tem como causas diferentes categorias de tensão (dinâmica, de toque, estática e de passe). Indiretamente, no entanto, podem ocorrer também quedas, provocadas tanto no transporte e equipamento quanto por ataques de animais (insetos, peçonhentos ou domésticos), assim como riscos ocupacionais (caso de fatores físicos como ruído, radiação solar e calor) e ergonômicos (posturas inadequadas, psicossociais e ambientais).

“O trabalho foi árduo, no entanto muito satisfatório, e será uma fonte de conhecimento para vários profissionais das áreas de Segurança do Trabalho”, disse Lindemberg Trindade, referindo-se a engenheiros, técnicos de diversas especialidades (segurança do trabalho, eletromecânica, eletrônica), bombeiros militares e civis resgatistas, além de instrutores da Norma Regulamentadora N° 35 (NR-35), do Ministério do Trabalho, que estabelece requisitos mínimos e medidas de proteção para o trabalho em altura. O pesquisador destacou que ficou particularmente satisfeito pelo artigo ter sido publicado na edição de abril da Revista Proteção, pois este mês é tido como o “verde”, e durante 30 dias se realizam campanhas de conscientização sobre acidentes do trabalho em empresas privadas, públicas ou mistas.

Lindemberg Trindade é graduado em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), possuindo especializações em Engenharias de Segurança do Trabalho e Elétrica. Além disso, o docente do Campus Santa Inês conta com experiência em gestão de segurança do trabalho, montagens mecânica e eletromecânica, obras civis e portuárias, manutenção de vagões, bem como na área hospitalar, siderúrgica, terraplanagem, dentre outros ramos de atividade.

Revista Proteção

Com foco na transmissão de informação técnica de qualidade, a editora Proteção Publicação e Eventos foi criada em 1987, propondo disseminar conhecimento sobre saúde e segurança do trabalho. Atualmente, a empresa atua nas áreas editorial e de eventos, com sede na cidade de Novo Hamburgo (RS) e escritório em São Paulo (SP). A editora emprega cerca de 60 profissionais, editando duas revistas, um anuário e um guia. Além disso, realiza seis feiras bienais, dezenas de seminários e mais de 50 cursos anuais, em todas as regiões brasileiras.

Fim do conteúdo da página